Negros“Quando você abraça as diferenças, abraça Deus” foi o tema da celebração da consciência negra organizada, no domingo passado pela Igreja Betesda de Boa Vista, Roraima. Em novembro, igrejas, organismos e movimentos preparam ações para lembrar o herói negro brasileiro, Zumbi do Palmares.

A Igreja Metodista Central de Volta Redonda, no Rio, abrigará, em 14 de novembro, o Encontro Regional de Combate ao Racismo da 1. Região Eclesiástica. Releitura bíblica sob o olhar da negritude e negritude, fé e justiça numa perspectiva de igreja inclusiva serão temas na pauta do evento.

Testemunhando que Jesus une todas as raças sob a cruz, mas apontando as feridas abertas pela escravidão, a Associação Missionária Brasil-Áfica (AMBRA) e a Missão Evangélica Nova Geração anunciam, para os dias 20 a 22 de novembro, em São Paulo, a Semana da Consciência Negra, com temas abordados por médico, psicólogo, padre e pastor.

O grupo de teatro da Juventude da Pastoral de Combate ao Racismo da Igreja Metodista vai se apresentar, no sábado, 21, no Dia da Consciência Negra, organizado pela União das Igrejas Evangélicas em Cabuis, de Nilópolis, Rio de Janeiro. Um dos temas do encontro versará sobre “A religião mais negra do Brasil”.

A 6ª. Semana Nacional Evangélica de Consciência Negra (Senecon) tem por meta aumentar o envolvimento dessa família confessional na questão racial e negritude.

A 1ª. Senecon foi realizada em novembro de 2004, com apoio de diversas organizações e instituições, como o Fórum Afrodescendentes Evangélicos, Instituto Nacional de Debates Nelson Mandela, Fórum Permanente de Mulheres Negras Cristãs do Rio de Janeiro, Comissão Ecumênica Nacional de Combate ao Racismo, Coordenadoria Ecumênica de Serviço, Movimento Evangélico Progressista, Seminário Presbiteriano de Campinas, Centro Universitário Bennett, Seminário Teológico Batista do Nordeste, Rádio Melodia do Rio de Janeiro, Missões Quilombo e Simeão Níger.

Zumbi foi o maior líder do Quilombo dos Palmares, localizado em Alagoas. Em 6 de fevereiro de 1694, a capital de Palmares foi destruída e Zumbi ferido. Traído, ele foi morto em 20 novembro de 1695. Em Recife, a cabeça foi exposta em praça pública.

Fonte: ALC