RUBENS TEIXEIRA

Rubens Teixeira ministra palestra sobre mercado de trabalho para soldados que darão baixa

Rubens Teixeira, Diretor Financeiro e Administrativo da Transpetro, palestrou para soldados que prestaram serviço militar obrigatório e darão baixa no final de 2009 e início de 2010 na Brigada de Infantaria Paraquedista. O convite partiu do General Russo, comandante da Brigada.

O tema da palestra foi o valor do treinamento militar para o mercado de trabalho. O palestrante, que é oficial da reserva do Exército, cursou a Academia Militar das Agulhas Negras e o Instituto Militar de Engenharia. Na AMAN, o General Russo foi seu instrutor. A idéia da palestra surgiu das conversas entre o Dr. Rubens Teixeira, o general Russo e o coronel Diógenes, e visou orientar os soldados que darão baixa de que maneira devem proceder no mercado de trabalho para que tenham êxito ao se utilizarem dos princípios e conhecimentos aprendidos no Exército. Antes da palestra foi apresentado um pequeno documentário sobre a vida do palestrante e lido seu currículo.

Durante a exposição, o palestrante procurou mostrar aos soldados que, embora fossem em sua maioria originários de famílias pobres e com poucas oportunidades na sociedade, não deveriam desistir de lutar em prol dos seus objetivos. Disse à platéia que também teve origem humilde e teve de enfrentar descrédito, humilhações, dificuldades pessoais, enfermidades em muitas situações em sua vida e que não desistiu e, com a ajuda de Deus, teve êxito. Procurou assim encorajar os militares, prestes a deixarem a farda e ingressarem no mundo civil, a trilharem o caminho do bem aprendido no Exército.

Dentre os pontos relevantes apresentados na palestra, foi enfatizado a mudança de hábitos que o Exército propiciou aos jovens soldados. O palestrante incentivou que os bons hábitos aprendidos na Instituição deveriam ser cultivados ao longo da vida.  O palestrante ressaltou atributos aprendidos e desenvolvidos no dia a dia da caserna como disciplina, comprometimento, coragem, respeito à autoridade, proatividade, gestão do tempo, perseverança na dificuldade, determinação, visão estratégica, etiqueta empresarial  e liderança, altamente valorizados no mercado de trabalho.

Procurou demonstrar que por todos esses atributos, não ensinados de forma sistematizada na vida civil como são nas forças armadas, a vida militar se constitui em escola única para os jovens que se beneficiariam dos ensinamentos e treinamentos oferecidos pelo Exército. Durante várias vezes procurou tornar claro aos jovens que, ao se desviarem dos bons princípios, estariam optando pelo insucesso e que a prática de bons costumes certamente levariam ao êxito profissional e pessoal.

Fez também um alerta aos que eventualmente, ao darem baixa,  sofressem assédio de grupos criminosos que lhes oferecessem salários garantidos e aparentemente atrativos em troca do seu conhecimento de guerra. Disse aos soldados que os que se envolvem com o crime normalmente morrem cedo. Perguntou se eles conheciam alguém que fosse um experiente gerente do tráfico de drogas que conseguiu ser gerente em muitos morros e tenha envelhecido na atividade. Explicou aos soldados que na verdade ninguém é mais forte do que o poder Estatal. Para justificar a sua argumentação, disse que o Estado Brasileiro possui carros de combate, navios de guerra, aviões, canhões, explosivos, muitos fuzis e metralhadoras e outras armas de guerra poderosas. Que possuía ainda Polícia Federal, Polícias Militares e Civis, Ministério Público, Poder Judiciário e muito mais. Com esta estrutura poderosa, um grupo criminoso jamais venceria o poder estatal. Ainda que marginais matem eventualmente um policial, quando isso acontece, os criminosos, as suas famílias e a comunidade onde residem perdem muito mais, pois a Polícia, com a finalidade de prender os criminosos, vai às últimas conseqüências. Como normalmente os marginais tentam evitar a prisão, as comunidades sofrem com tiroteios e mortes, inclusive de inocentes. Com todo o aparato do Estado, o crime sempre será mais fraco e os seus membros ou serão presos ou morrerão em confrontos, como acontece normalmente. Para ilustrar a sua exposição, contou alguns exemplos que assistiu em sua trajetória militar, seja de soldados que escolheram o bom caminho e tiveram êxito pessoal e de outros que, ao optarem pelo o crime, morreram assassinados.

O palestrante destacou ainda algumas funções que os soldados poderiam disputar no mercado de trabalho por conta de suas especialidades nas atividades que desenvolveram no quartel. Dentre elas, ressaltou a de auxiliar administrativo, motorista, garçom, mecânico, segurança, almoxarife, supervisor e gerente. Encorajou aos soldados a descobrirem os seus talentos e jamais esmorecerem, mesmo se eventualmente forem injustiçados.

Finalizou dizendo que o Brasil é um pais rico em minerais estratégicos, na produção de alimentos, é detentor de 12% da água doce do mundo e com o pré-sal será a quarta ou quinta maior reserva de petróleo do mundo. Com o crescimento do Brasil, é certo que muitas oportunidades surgirão. Questionou aos jovens quem se habilitaria em ocupar as oportunidades que surgiriam. Disse que tais oportunidades estariam disponíveis a todos os que se habilitassem se preparando tecnicamente e estrategicamente, seguindo os bons princípios. Procurou encorajar os jovens a não desanimarem ante as dificuldades que enfrentariam no mercado de trabalho, mas que fossem fortes, destemidos, corajosos, tais como foram ao cumprirem suas missões no Exército.

Ao final da palestra foi homenageado pelo responsável pelo grupamento, major Toulois, seu contemporâneo de AMAN, que prestou as homenagens em nome do comandante da Brigada de Infantaria Paraquedista, general Russo, e foi aplaudido calorosamente pela platéia.

Rubens Teixeira sendo homenageado pelo Major Toulois

Acompanharam o palestrante, o coronel Diogenes, forças especiais e guerra na selva, o major Eduardo Oliveira, amigo que cursou dez anos de cursos com Rubens Teixeira no Exercito, além do  Dr. Augusto Porto, Gerente Geral de Finanças da Transpetro, Dr. Fernando Maida, Gerente de Serviços Administrativos da Transpetro, e os seus assessores Rogério Barreto, Uziel Lima e Leonardo Oliveira.

Anúncios

Arquivado em:1

2 Responses

  1. diogo da conceição benedicto disse:

    A palestra foi ”otima”!!!
    sd diogo conceição
    27 bi pqdt

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Twitter @Rubens Teixeira

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Documentário

Redes Sociais

twitter

youtube

orkut

facebook

Programa do Faustão (Globo)

Descriminalização das drogas (Opinião)

PLC 122 (Opinião)

Entrevista ao Jornal Folha Dirigida

logocorrupcao2007
banner_tcp

Mais Avaliados

%d blogueiros gostam disto: